“Todas as palavras são a loucura dos Poetas, não fossem elas o próprio sangue que corre nas veias”


(Lúcia Machado)

07/03/2008

Gosto de ti...


Gosto de ti
Como quem gosta de chuva
Em dias quentes de Verão

Gosto de ti
Como o acorde doce da guitarra
Sedativo, alimento na solidão

Gosto de ti
Como quem gosta do mar
Das ondas, em sentido viver

Gosto de ti
Como o beijo tímido,
Suave, dos enamorados

Como o bater do coração
Ao mínimo toque da tua mão
Num rítmico bater acelerado

Como corpo em desvario
Sabendo que te pertence
Na ânsia da mente em rodopio

Gosto de ti
Como a Lua que entontece
Como o Sol que me aquece
Como a brisa que me beija
Como corpo e alma que flameja

Gosto de ti
Gosto… de gostar de ti
Porque gostas de mim

(Lúcia Machado)

2 comentários:

Vóny Ferreira disse...

E eu gosto de facto muito de tudo quanto escreves!
Há uma leveza e uma espontaneidade gritante no que descreves e é talvez por isso que aprecio o que defines.
Mas nunca saberemos na verdade descrever com precisão o porquê de se gostar do que quer que seja...
(VÓNY FERREIRA)

ZezinhoMota disse...

Lúcia, querida amiga!

Esta música de fundo aliado à sempre tão bonita poesia que tu nos presentei-as!

Crê! São momentos de muita emoção, vastas vezes a lágrima salta e rebola como a bola...

É algo que não sei como te poder explicar...

Parecem lágrimas de sofrimento mas esta tristeza bem interiorizada é de felicidade e essencialmente de emoção!

Minha amiga, tu tens esse belo poder! Com as tuas palavras transportas tão bonitos sentimentos e como se enquadram comigo!!!???

Sabes!!!???

Deixa-me te confessar de que imensas vezes tenho pensado se estivesses mais perto de mim...

Serias alguém que me daria um orgulho e uma felicidade sem tamanho...

De publicarmos ambos um livro com os nossos sentimentos tão profundos e belos!

Não me interessaria os Escritores de quem sou fã...

Mas publicarmos um livro seria como dizer ao mundo que a tua poesia se enquadra muito com a minha!

Perdoa-me sinceramente!

É uma confissão de um amigo que te admira demais...

E com esta confissão é acreditar que quando te leio estou completamente ausente do mundo...

Assim como me acontece ao escrever a minha poesia!

Felicidades para ti e um abraço de muito carinho, amizade e aquele respeito que me merecem toda a gente e em particular de quem gosto.

Bjnhs

ZezinhoMota

... Aqui jazem todas as angústias, os medos, a solidão, as alegrias, as tristezas...
Jazem momentos únicos, momentos irrepetíveis...
....a saudade, o acreditar....
..As lágrimas, o desespero, o renascer...
a morte...
Todos os momentos de uma vida...uns eternos, outros não...
Aqui jaz uma nova esperança... o amor...

...Tu...



(Lúcia Machado)




Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, cedência, difusão, distribuição, armazenagem ou modificação, total ou parcial, por qualquer forma ou meio electrónico, mecânico ou fotográfico destes textos sem o consentimento prévio e expresso do autor. Exceptuam-se a esta interdição os usos livres autorizados pela legislação aplicável, nomeadamente, o direito de citação, desde que claramente identificada a autoria e a origem.