“Todas as palavras são a loucura dos Poetas, não fossem elas o próprio sangue que corre nas veias”


(Lúcia Machado)

30/10/2007

Os cinco sentidos do meu amar


GOSTO da solidão…
…do refúgio da minha alma, nos recantos sentidos, do meu amar

OLHAR a noite…
…a Lua nua, as estrelas cadentes, céu omnipotente, sobre a terra e o mar

TOCAR as tuas mãos...
…toque, que me acalenta o peito que chora, um silêncio audível, em ritmos acelerados

CHEIRAR a tua pele…
...é fresca maresia, perfume que se espalha, puro delírio, aroma raro, infiltrado

OUVIR a tua voz…
…agita inquieta o meu pensamento, cria devaneios, ilusões no coração malfadado



(Lúcia Machado)

1 comentário:

ZezinhoMota disse...

Lucia!

Como o afirmo com frequência, adoro ler-te e hoje deu-me a vontade de te fazer uma surpresa!

Vai ao http://poetaremportugues.blogspot.com

Espero que gostes, fí-lo convictamente de que presto uma sincera homenagem a alguém que o merece.

Bom fim de semana.

Bjnhs

ZezinhoMota

... Aqui jazem todas as angústias, os medos, a solidão, as alegrias, as tristezas...
Jazem momentos únicos, momentos irrepetíveis...
....a saudade, o acreditar....
..As lágrimas, o desespero, o renascer...
a morte...
Todos os momentos de uma vida...uns eternos, outros não...
Aqui jaz uma nova esperança... o amor...

...Tu...



(Lúcia Machado)




Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, cedência, difusão, distribuição, armazenagem ou modificação, total ou parcial, por qualquer forma ou meio electrónico, mecânico ou fotográfico destes textos sem o consentimento prévio e expresso do autor. Exceptuam-se a esta interdição os usos livres autorizados pela legislação aplicável, nomeadamente, o direito de citação, desde que claramente identificada a autoria e a origem.