“Todas as palavras são a loucura dos Poetas, não fossem elas o próprio sangue que corre nas veias”


(Lúcia Machado)

23/10/2007

Caravela de Sonhos



Ao longe uma caravela…conta odisseias,
Carrega com ela, sonhos feitos ao luar
Marinheiros perdidos, ouvem canto das sereias
Escrevem nas estrelas, saudades…desejos no mar

Leva-me no teu rastro
A minha alma quero encontrar…
Ela, que só brilha longínqua naquele astro
Assim eu, que canto ou choro, poderei por fim, repousar

Entre ventos, tormentas do que somos
Tornou-se um estranho, o sonho sem se ver
Numa ilha por vezes habitada do que fomos
Desejos…que não precisam de morrer


(Lúcia Machado)

1 comentário:

Sailing disse...

Lindo poema... Que a Caravela dos sonhos te transporte a porto seguro, embalada pelas ondas de um mar que te segreda o sucesso necessário para ires mais alem.

Parabens

... Aqui jazem todas as angústias, os medos, a solidão, as alegrias, as tristezas...
Jazem momentos únicos, momentos irrepetíveis...
....a saudade, o acreditar....
..As lágrimas, o desespero, o renascer...
a morte...
Todos os momentos de uma vida...uns eternos, outros não...
Aqui jaz uma nova esperança... o amor...

...Tu...



(Lúcia Machado)




Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, cedência, difusão, distribuição, armazenagem ou modificação, total ou parcial, por qualquer forma ou meio electrónico, mecânico ou fotográfico destes textos sem o consentimento prévio e expresso do autor. Exceptuam-se a esta interdição os usos livres autorizados pela legislação aplicável, nomeadamente, o direito de citação, desde que claramente identificada a autoria e a origem.