“Todas as palavras são a loucura dos Poetas, não fossem elas o próprio sangue que corre nas veias”


(Lúcia Machado)

09/05/2008


Dá-me a tua mão…
Sente o pulsar do meu coração
É um pássaro louco, que voa sem parar
Milhafre frágil em voos deslizantes
Num ritmo de almas que se tocam
Em carícias constantes...

Ave de rapina em busca de alimento
Rio que corre em tua direcção
Ao sabor de um vento choroso
Fugindo da fúria do furacão

É o brilho dos teus olhos
Em múrmurios inaudiveis
Tão presentes em mim…
Mesmo distantes

Dá-me a tua mão…
Consegues sentir o inebriar do corpo?
Como um arrepio saudoso
Que adoça a alma em turbilhão
É por ti que espera
Que aguarda
Ao som dos sentidos em movimento
Loucura do toque em plena confusão

Dá-me o teu abraço…
Deixa-me ficar perdida no teu calor
Sentir o teu cheiro,
Aroma dos campos em jasmim
Quero adormecer no teu sonho
Beijar o teu rosto, percorrer teus lábios
Onde me perco e te encontro assim


(Lúcia Machado)







"À razão do meu ser...do meu viver"

1 comentário:

Cila & Di disse...

Ui...arrepiei-me só de ler-te! Adorei!
Beijo da Cila

... Aqui jazem todas as angústias, os medos, a solidão, as alegrias, as tristezas...
Jazem momentos únicos, momentos irrepetíveis...
....a saudade, o acreditar....
..As lágrimas, o desespero, o renascer...
a morte...
Todos os momentos de uma vida...uns eternos, outros não...
Aqui jaz uma nova esperança... o amor...

...Tu...



(Lúcia Machado)




Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, cedência, difusão, distribuição, armazenagem ou modificação, total ou parcial, por qualquer forma ou meio electrónico, mecânico ou fotográfico destes textos sem o consentimento prévio e expresso do autor. Exceptuam-se a esta interdição os usos livres autorizados pela legislação aplicável, nomeadamente, o direito de citação, desde que claramente identificada a autoria e a origem.