“Todas as palavras são a loucura dos Poetas, não fossem elas o próprio sangue que corre nas veias”


(Lúcia Machado)

03/05/2008


Coração…
Mais devia ser chamado de “boca”!
Pelo menos o meu!
Tudo o que sente…”despeja para fora”
Não se contém…
Tantas vezes o cérebro lhe diz…
Tem calma!
Não sejas impulsivo!

Mas, algo o domina!
O “obriga” a dizer o que vai na alma!
E volto a dizer…
Calma, tem calma!
Por vezes o silêncio é o equilíbrio
Entre o sentimento e a razão…

Que se lixe!
“Diz o coração…”
Antes dizer o que sinto
Do que agoniar no silêncio…
E morrer na escuridão!

Assim é, o meu coração…
Uma “boca” a mais, que diz que ama
Em forma de turbilhão…

(Lúcia Machado)

5 comentários:

André disse...

olá Lúcia, obrigado pela visita e elogio ao meu blog. Procurarei visitar este com regularidade. Os meus parabéns

O meu barco disse...

Olá Lúcia, continuas a escrever o que te vai na alma. Tens que acreditar que o que te vai na podes concretizar!

Fica bem

Cila & Di disse...

Muito bonito!
Gosto deste cantinho!
Um beijo da Cila

Fernando Rozano disse...

"coração devia ser chamado de boca"...belíssimo achado poético, imagem magnífica, como o texto. abraços.

ZezinhoMota disse...

É, o coração tem destas coisas. Eu chamaria de coração sensivel...

Querer acreditar é motivo mais que suficiente...

Acreditar no seu amar para poder sorrir e ser feliz.

Amiga, que estejas bem.

Boa quinta feira.

Bjnhs

ZezinhoMota

... Aqui jazem todas as angústias, os medos, a solidão, as alegrias, as tristezas...
Jazem momentos únicos, momentos irrepetíveis...
....a saudade, o acreditar....
..As lágrimas, o desespero, o renascer...
a morte...
Todos os momentos de uma vida...uns eternos, outros não...
Aqui jaz uma nova esperança... o amor...

...Tu...



(Lúcia Machado)




Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, cedência, difusão, distribuição, armazenagem ou modificação, total ou parcial, por qualquer forma ou meio electrónico, mecânico ou fotográfico destes textos sem o consentimento prévio e expresso do autor. Exceptuam-se a esta interdição os usos livres autorizados pela legislação aplicável, nomeadamente, o direito de citação, desde que claramente identificada a autoria e a origem.