“Todas as palavras são a loucura dos Poetas, não fossem elas o próprio sangue que corre nas veias”


(Lúcia Machado)

22/05/2008


Chegas como a manhã silenciosa
Como raio de Sol através de um vidro
Trazes contigo a liberdade das andorinhas
Em sorrisos de mil sabores
Transformas os dias cinzentos,
Em arco-íris de mil cores

Na simplicidade do teu olhar doce
Cobres-me de doces beijos
Que me embalam, ao som dos mais simples desejos

Chegas como ave de rapina
E fazes de mim o teu alimento
Roubas-me todo o meu tormento

Chegas como brisa deslizante
Triste, só, em silêncios emudecidos
E no toque, trazes os sonhos esquecidos

Nas noites em branco…
Chegas como melodia para mim
E nos teus braços…
Encontro a paz por fim


(Lúcia Machado)

2 comentários:

Cila & Di disse...

Indentifico-me contigo...gosto do que escreves...sinto o teu sentir!
Beijo doce

ZezinhoMota disse...

E que essa pas seja doce e tranquila!

Com as pessoas que amas a teu lado!

E se complemente com a realização de todos os teus sonhos em projectos de vida!

Que sejas feliz no presente e no futuro...

Bom fim de semana.

Bjnhs

ZezinhoMota

... Aqui jazem todas as angústias, os medos, a solidão, as alegrias, as tristezas...
Jazem momentos únicos, momentos irrepetíveis...
....a saudade, o acreditar....
..As lágrimas, o desespero, o renascer...
a morte...
Todos os momentos de uma vida...uns eternos, outros não...
Aqui jaz uma nova esperança... o amor...

...Tu...



(Lúcia Machado)




Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, cedência, difusão, distribuição, armazenagem ou modificação, total ou parcial, por qualquer forma ou meio electrónico, mecânico ou fotográfico destes textos sem o consentimento prévio e expresso do autor. Exceptuam-se a esta interdição os usos livres autorizados pela legislação aplicável, nomeadamente, o direito de citação, desde que claramente identificada a autoria e a origem.