“Todas as palavras são a loucura dos Poetas, não fossem elas o próprio sangue que corre nas veias”


(Lúcia Machado)

25/09/2007

Não quero morrer de ti


Tristezas há, as que ficam, num estado permanente
Diria, ate, que se entranham na alma doente
Na confusão dos sentidos
Perfumes mistos, criados ao som de acordes invertidos

Num baú, pudesse eu fechar a sete chaves
A desilusão que me assola sem entraves
Amor…veneno Angelical que saboreei sem perdão
Licor agridoce…que o amargo, deixa no coração

Eu serei a tua serva, em noites de ócio e vício
Tormento algoz, testemunha, adventício
Pensamentos que dormiam, estrelas errantes
Outrora ausentes agora constantes

Nuvem que paira, no céu do meu descontentamento
Alvíssaras te darei...se para longe levares este padecimento
Se um dia eu me ausentar, e pensares que morri
Não fiques triste não…não quero morrer de ti



(Lúcia Machado)

2 comentários:

Anónimo disse...

Gostava que as palavras fossem dedos que se enlaçam entre as tuas mãos.
Gostava. Gostava que escrever-te fosse como sentir o que já senti e o que nunca senti. As palavras são apenas voos rasos entre recordações que ainda não tivemos. O que sinto não se faz em palavras, não se desenha em telas, não se toca nas melodias do pensamento fugitivo.
Gostava. Gostava que o tempo fosse carícia que me aquieta sempre que ao longo da pele dos dias quando não te encontro nos meus olhos. A alma pede. A alma evita. A alma fica. As palavras travam. A voz silencia.
Gostava. Gostava de poder sentir-te nestes abraços intensos de divagações que o coração me empresta de ti. O coração... aquele me aperta o peito e me desfaz a razão em pulsações descontinuadas.
Gostava de parar. Gostava de sentir o vazio da vida e preencher-me apenas de ti.
Gostava... gostava de olhar para ti e dar-te em silêncio todo o Amor que fervilha dentro de mim...
É.
Gostava...

(magia)

***

Adorei...lindo de mais
Continua sempre a transmitir emoções dessa forma tão marcante...

bj*

ZezinhoMota disse...

Lúcia!

São marcantes certas fases das nossas vidas! A Internet, deu-me sentimentos e ofereceu-me a oportunidade de os descobrir bem profundamente!

Mesmo que eu constate, que fui sempre uma pessoa muito sensível!

Por exemplo! Descobri-te muito recentemente no LUSO-POEMAS!

E aos poucos pelas letras que escreves e se transformam em obras de "ARTE".

Não te estou a "Bajular", perdoa-me pela palavra...

Só quero dizer que gosto imenso de te ler e os teus poemas dizem bem a pessoa que és...

Engraçado! Mesmo sem qualquer fotografia tua; somente com as tuas palavras já és alguém de quem admiro profundamente

Gosto muito de te ler e também de ti...

Digo-te sem constrangimentos! Porque és uma jovem suficientemente inteligente!

Para que possas compreender os sentimentos que eu professo!

E o Amor da Amizade é aquele que ao longo do correr da minha vida me têm dado momentos muito bonitos.

Isto serve para te dizer que este momento é para mim muito sofrível. Porque estes dois posts, no meu blog! Se referem a uma jovem que os seus poemas e o seu opinar nos blogs, eu direi no meu…
Me encantaram e agora que está fazendo um ano de seu falecimento por doença. Sinto-me muito mal, mesmo sabendo que o nosso viver, é um ciclo de vida que não tem idade.

A música actualmente no meu blog, é para mim a voz mais bonita e as suas canções me emocionam imenso! Coloquei-a em homenagem à minha amiga, é a música que perdura no blog dela!

Perdoa-me! Minha amiga, pelo desabafo, precisei mesmo.

Fica bem e por favor seja feliz!...

Bjnhs

ZezinhoMota

... Aqui jazem todas as angústias, os medos, a solidão, as alegrias, as tristezas...
Jazem momentos únicos, momentos irrepetíveis...
....a saudade, o acreditar....
..As lágrimas, o desespero, o renascer...
a morte...
Todos os momentos de uma vida...uns eternos, outros não...
Aqui jaz uma nova esperança... o amor...

...Tu...



(Lúcia Machado)




Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, cedência, difusão, distribuição, armazenagem ou modificação, total ou parcial, por qualquer forma ou meio electrónico, mecânico ou fotográfico destes textos sem o consentimento prévio e expresso do autor. Exceptuam-se a esta interdição os usos livres autorizados pela legislação aplicável, nomeadamente, o direito de citação, desde que claramente identificada a autoria e a origem.