“Todas as palavras são a loucura dos Poetas, não fossem elas o próprio sangue que corre nas veias”


(Lúcia Machado)

17/07/2008


Pensei…
Em mudar o coração
Colocá-lo no meio do iceberg
Mas, depois reflecti
Num iceberg?!
Olhei para o peito
E …
Só tenho de o transformar
Em objecto inanimado
Que só funciona, ao acorde do seu dono…
Pensei e repensei….
Vou Transformá-lo em tinta
Para a minha escrita
Uma vez apaixonada…
Por vezes precipício, num fim da estrada…
Resolvi…vou deixá-lo ir ao sabor do vento
Descobrir-me novamente a escrever…
Morrendo para renascer


(Lúcia Machado)

2 comentários:

Cila disse...

Qual phoenix que renasceu das cinzas...
Beijo

ZezinhoMota disse...

Podes crer que as tuas palavras serão sempre elogiadas por mim!

Porque me dizem muito e complementando uma poesia de profundo sentimento.

Feliz semana.

Bjnhs

ZezinhoMota

... Aqui jazem todas as angústias, os medos, a solidão, as alegrias, as tristezas...
Jazem momentos únicos, momentos irrepetíveis...
....a saudade, o acreditar....
..As lágrimas, o desespero, o renascer...
a morte...
Todos os momentos de uma vida...uns eternos, outros não...
Aqui jaz uma nova esperança... o amor...

...Tu...



(Lúcia Machado)




Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, cedência, difusão, distribuição, armazenagem ou modificação, total ou parcial, por qualquer forma ou meio electrónico, mecânico ou fotográfico destes textos sem o consentimento prévio e expresso do autor. Exceptuam-se a esta interdição os usos livres autorizados pela legislação aplicável, nomeadamente, o direito de citação, desde que claramente identificada a autoria e a origem.