“Todas as palavras são a loucura dos Poetas, não fossem elas o próprio sangue que corre nas veias”


(Lúcia Machado)

06/07/2008

...


Penso e quanto mais penso…
Fico com a certeza que, nada mais importa…
De que me servem os dias, se o meu Sol se foi?
Para que quero a noite, se a estrela que me guia não está lá?
Deito-me, fecho os olhos e tudo o que sinto, é a falta da tua presença…
Do teu cheiro...dos braços que me protegem...do teu coração veloz…

E, nas lágrimas que correm…
A dor que assola a minha alma…faca cravejada no meu peito…
Para que quero o meu coração, se o teu, já não bate pelo meu?
Para que quero o canto dos pássaros, se o meu mundo se ajoelhou ao silêncio da tua ausência?

Tudo o que resta, é um corpo esquecido na confusão da carne…
…e quanto mais penso…
Fico com a certeza que, o meu mundo és tu…
A razão do meu ser…do meu viver…
Preciso de ti…e tu…não estás aqui…


…Só tenho o teu rosto gravado na minha memória…


(Lúcia Machado)

3 comentários:

Cila & Di disse...

Sinto-te tão triste nestas tuas palavras...
Deixo-te apenas um beijo!!!

Fernando Rozano disse...

texto de muita sensibilidade e amoroso, por mais sem so e estrelas possa ser o momento. sentir é essencial, revela vida e quem vive segue à frente. abraços.

ZezinhoMota disse...

Que dizer de um poema que estará retratando uma tristeza tão profunda?

Por mais que eu queira ser uma mensagem, mesmo que ligeira, de boas novas e que contivesse algo para minorar esse teu sofrer...

Que saibas sorrir hoje e sempre...

Porque temos que sorrir mesmo que nos apeteça chorar.

Bjnhs de muita ternura.

ZezinhoMota

... Aqui jazem todas as angústias, os medos, a solidão, as alegrias, as tristezas...
Jazem momentos únicos, momentos irrepetíveis...
....a saudade, o acreditar....
..As lágrimas, o desespero, o renascer...
a morte...
Todos os momentos de uma vida...uns eternos, outros não...
Aqui jaz uma nova esperança... o amor...

...Tu...



(Lúcia Machado)




Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, cedência, difusão, distribuição, armazenagem ou modificação, total ou parcial, por qualquer forma ou meio electrónico, mecânico ou fotográfico destes textos sem o consentimento prévio e expresso do autor. Exceptuam-se a esta interdição os usos livres autorizados pela legislação aplicável, nomeadamente, o direito de citação, desde que claramente identificada a autoria e a origem.