“Todas as palavras são a loucura dos Poetas, não fossem elas o próprio sangue que corre nas veias”


(Lúcia Machado)

28/07/2008

Abro as asas, lanço-me no infinito
Fecho os olhos, com o vento a bater-me na face
Grito, até me doer os pulmões
Abraço-te, minha imagem suspensa no infinito
Solto-me em rodopios estonteantes
O sangue corre-me nas veias
Com a velocidade do pulsar do coração
A queimar-me por dentro
Até a ti chegar…


(Lúcia Machado)


Sinto que está incompleto…
Mas, por agora fica assim…

1 comentário:

Crystal disse...

Talvez o imcompleto seja o lógico...fica tudo em aberto, esperando o amanhã...

... Aqui jazem todas as angústias, os medos, a solidão, as alegrias, as tristezas...
Jazem momentos únicos, momentos irrepetíveis...
....a saudade, o acreditar....
..As lágrimas, o desespero, o renascer...
a morte...
Todos os momentos de uma vida...uns eternos, outros não...
Aqui jaz uma nova esperança... o amor...

...Tu...



(Lúcia Machado)




Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, cedência, difusão, distribuição, armazenagem ou modificação, total ou parcial, por qualquer forma ou meio electrónico, mecânico ou fotográfico destes textos sem o consentimento prévio e expresso do autor. Exceptuam-se a esta interdição os usos livres autorizados pela legislação aplicável, nomeadamente, o direito de citação, desde que claramente identificada a autoria e a origem.