“Todas as palavras são a loucura dos Poetas, não fossem elas o próprio sangue que corre nas veias”


(Lúcia Machado)

14/04/2009

Amor...

É assim o meu amor…
Não como os outros te vêem, nem tão pouco como te ouvem
São tuas as palavras, dóceis, como brisa que me espera
Onde e apenas na palma das tuas mãos, correm segredos por revelar
Das estrelas nada sei...
Apenas reconheço que existem, estão lá para mim...
...Como tu para elas…
Revelam-se à tua passagem, assim como quem te espera
Não lhes peço explicações!
Mas, também não lhes direi a dimensão do nosso amor incontido...
Que a desvendem no reflexo do nosso olhar...
Nas asas do nosso coração
É assim que te vejo…
Como te sinto, cascata em queda livre
Ao encontro do rio que corre desmesurado...
E em meus braços alcança o merecido descanso
Nos teus lábios o deleite das tâmaras maduras
E no abraço o passo acelerado, do teu coração envolto no meu
Assim és, Luz, Vida, infinito no sentir das coisas
…Como um beijo caído, semente do amor a crescer
Eu sei que, talvez a noite te consuma…
Mas renascerás em mim…

(Lúcia Machado)

1 comentário:

Hélder disse...

Simplesmente: "Amo-te!!!!!"

... Aqui jazem todas as angústias, os medos, a solidão, as alegrias, as tristezas...
Jazem momentos únicos, momentos irrepetíveis...
....a saudade, o acreditar....
..As lágrimas, o desespero, o renascer...
a morte...
Todos os momentos de uma vida...uns eternos, outros não...
Aqui jaz uma nova esperança... o amor...

...Tu...



(Lúcia Machado)




Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, cedência, difusão, distribuição, armazenagem ou modificação, total ou parcial, por qualquer forma ou meio electrónico, mecânico ou fotográfico destes textos sem o consentimento prévio e expresso do autor. Exceptuam-se a esta interdição os usos livres autorizados pela legislação aplicável, nomeadamente, o direito de citação, desde que claramente identificada a autoria e a origem.