“Todas as palavras são a loucura dos Poetas, não fossem elas o próprio sangue que corre nas veias”


(Lúcia Machado)

23/04/2009


“Cartas de amor, são ridículas”, já dizia o Poeta…
Ridículas, porque nós mesmos nos tornamos “ridículos” quando amamos.
E como é bom ser ridículo!
:-)
Quem nunca amou verdadeiramente, nunca o foi…
E isso é tão triste! A falta de receber e dar o verdadeiro amor…
É muito bom ser ridículo ao abraçar, quando choramos só pelas saudades acumuladas...
É muito bom ridicularizar os olhares desaprovados de quem nunca amou
São ridículas as cartas de amor, os perfumes envolvidos as palavras sem nexo, apenas porque nada nos ocorre de poético, para dizer…
(assim como aqui) :-)
Que se lixe! O que importa mesmo é o que sai do coração…
Estou completamente apaixonada! Confesso, e quando isso acontece…
Fico ridícula, ridícula, ridícula!
É a alma livre que voa como fada tonta!
Que faz travessuras pelo seu espírito que se tornou criança…
Sinto-me assim, envolvida num mundo de fantasia, na terra do nunca como Peter Pan…
Voo pelos Oceanos, descubro florestas encantadas, e o espírito vai livre pelo céu fora…
Brinca com as estrelas, canta para a Lua, dança com o Sol, adormece nas nuvens…
Enfim… uma confusão pegada!
Estou feliz! E espero que dure eternamente…
Príncipes encantados, não existem!
Nós os transformamos em Príncipes, a partir do momento em que aprendemos a amar…
Eu encontrei o meu "Pincipe"…
:-)

(Lúcia Machado)

5 comentários:

Hélder disse...

E eu encontrei a minha "pincesa" :)
És tão doce e meiga meu amor, também espero como tu que dure eternamente :$

Amo-te muito!

Yussef disse...

Lindo texto, Lúcia.
Se o poeta estiver certo, então sou ridículo.
Hahahaha.

Abraços

susaninha disse...

Olá Lucia, adorooo a imagem que tens no titulo do teu blog, sabes é que eu gosto muito de anjos...

Tambem gostei do teu blog é muito acolhedor, estou certa que irei passar por cá mais vezes.

Que um anjo te ilumine
Beijo

Valdemir Reis disse...

Obrigado! Obrigado! Obrigado! Olá Lúcia volto para agradecer por sua visita e também pelo seu gentil e amável comentário. Sinto-me feliz e honrado por sua amizade, muito gratificado pelo apreço que demonstra ao nosso trabalho. Obrigado mais uma vez por sua presença freqüente. James Greene costumava dizer; "Todo o bem que eu puder fazer, toda a ternura que eu puder demonstrar a qualquer ser humano, que eu os faça agora, que não os adie ou esqueça, pois não passarei duas vezes pelo mesmo caminho.” Confesso que é muito confortante ter bons amigos mesmo que seja virtual, não importa. Assim desejo tudo de bom para você. Volte sempre! Encontrar-nos-emos sempre por aqui. Felicidades. Tenha uma semana recheada de muito brilho, sucesso, paz, saúde, bênçãos, proteção e alegria. Que Deus esteja presente em cada momento. Um fraterno abraço.
Valdemir Reis

ZezinhoMota disse...

Lúcia, amiga especial.

Não és só tu que estás como uma "Barata tonta". A Barata sou eu a dizê-lo...

Mas fico muito feliz por ti. Ler-te assim com essa tua "FELICIDADE". Fico "emocionado" e também feliz.

A minha alegria, foi podes crer, contagiada pelas tuas palavras cheias de "MAGIA".

Com ou sem amor! É assim que eu privilegio todos os meus novos acordar...

Feliz por sentir a Natureza que me espera e os passarinhos como eles cantam todos para mim? É verdade! Perto das 6h da manhã, acordo só para ouvir essas tão lindas "Sinfonias" que os seus cantares formam para mim.

Tanta variedade de músicos e cantores! Eles formam a melodia, a linda poesia que acompanha as suas musicalidades.

Se a Natureza me espera todos os dias? Porque não me hei-de sentir bem no meio dela?

Se eu estou bem aconchegado no seu colo?

Amiga! Um beijo de carinho e toda a minha ternura por ti.

Sou feliz contigo assim tão radiosa de "FELICIDADE".

zEZINHOmOTA

... Aqui jazem todas as angústias, os medos, a solidão, as alegrias, as tristezas...
Jazem momentos únicos, momentos irrepetíveis...
....a saudade, o acreditar....
..As lágrimas, o desespero, o renascer...
a morte...
Todos os momentos de uma vida...uns eternos, outros não...
Aqui jaz uma nova esperança... o amor...

...Tu...



(Lúcia Machado)




Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, cedência, difusão, distribuição, armazenagem ou modificação, total ou parcial, por qualquer forma ou meio electrónico, mecânico ou fotográfico destes textos sem o consentimento prévio e expresso do autor. Exceptuam-se a esta interdição os usos livres autorizados pela legislação aplicável, nomeadamente, o direito de citação, desde que claramente identificada a autoria e a origem.