“Todas as palavras são a loucura dos Poetas, não fossem elas o próprio sangue que corre nas veias”


(Lúcia Machado)

29/07/2009

Se acordo…
Vejo-te nas leves cortinas que balançam
na tua vontade imposta, pela brisa que me beija

Há sempre um piano que toca ao som do coração

Há sempre uma imagem do teu rosto reflectido

…nas minhas mãos que te aconchegam
plantam no olhar a certeza do sentir
…do sentir, de quem regressou da busca da Alma perdida
De braços abertos...
recolho as lágrimas
derramadas sobre o peito rosado

Em cada movimento
Tacteio, e das pontas dos dedos renascem
Quimeras e cifras vidradas pelos teus passos
Observo-te, e ao canto, disfarçado,
Encontro-te entre tecidos esvoaçantes

Os cabelos sedosos
Deslizam as horas em torno do teu olhar
Doce como a breve manhã de orvalho
Amargo como o delicado e altivo trovão


(Lúcia Machado)

4 comentários:

O Profeta disse...

O desejo mora no limite da razão
Há tanto de intemporal em ti
Solta a palavra em lábios inquietos
As cores do teu “eu” penso que não vi

Imaginei-as mil vezes
Ouro de lei, a limpidez dos diamantes
O pensamento é cavalo errante
Feito na viagem de breves instantes


Bom fim de semana




Doce beijo

ZezinhoMota disse...

Lúcia!

Posso demorar um pouco mais, mas...

Apareço e com a minha amizade.

(Espero que esta fase passe)

Sabes bem o quanto gosto de te ler, mas as vicissitudes da vida impede-me de proceder naturalmente nas minhas visitas.

Ler-te é um privilégio e peço a Deus que me deixe continuar a ter este gosto de ser teu leitor e amigo.

Feliz fim de semana.

Bjnhs

ZezinhoMota

DarkViolet disse...

é bom sentir o orvalho a abraçar as sensações e esvoaçar no meio delas

Nilson Barcelli disse...

"Há sempre um piano que toca ao som do coração"
Quanta melodia neste verso.
"...mãos que te aconchegam
plantam no olhar a certeza do sentir..."
Uma carícia feita poema...
Querida amiga Lúcia, poderia continuar a destacar cada verso, cada frase, tudo para dizer, ao fim e ao cabo, que escreveste mais um excelente poema.
Mais doce que amargo...
Um beijo.

... Aqui jazem todas as angústias, os medos, a solidão, as alegrias, as tristezas...
Jazem momentos únicos, momentos irrepetíveis...
....a saudade, o acreditar....
..As lágrimas, o desespero, o renascer...
a morte...
Todos os momentos de uma vida...uns eternos, outros não...
Aqui jaz uma nova esperança... o amor...

...Tu...



(Lúcia Machado)




Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, cedência, difusão, distribuição, armazenagem ou modificação, total ou parcial, por qualquer forma ou meio electrónico, mecânico ou fotográfico destes textos sem o consentimento prévio e expresso do autor. Exceptuam-se a esta interdição os usos livres autorizados pela legislação aplicável, nomeadamente, o direito de citação, desde que claramente identificada a autoria e a origem.