“Todas as palavras são a loucura dos Poetas, não fossem elas o próprio sangue que corre nas veias”


(Lúcia Machado)

26/06/2009

E assim nasceu o meu nome...

Nasci das eternas lágrimas…
Não sabem, se os olhos que me choraram, eram apenas deslizes da ténue memória… sei que nasci assim...
Sou como fonte que sacia a sede dos transeuntes… a água que refresca os lábios sequiosos da poeira da tarde…
Dizes:
-Não cabe em mim, todos os átomos da tua existência…apenas um vácuo me assola na tua ausência…
Respondo-te:
-Não sei, se sou a tua criação entre o Céu e a Terra…ou se apenas, plano, entre as duas realidades…
Na volta… serei miragem neste extenso deserto em que me retira a vida aos poucos...
Aragem, que à passagem alivia a dor do peito ardente.
Não nasci das trevas!... Mas sim do ventre da minha mãe, seja ela a lágrima que rebola!
E o meu pai, a criação do coração…
Nasci eu! …Saudade, de nome próprio…
Onde me reconheço a cada despedida, em cada lágrima…
...A cada, ´"até breve" e até um "nunca mais"…
Sou aquela, em que o espírito toma maior parte que as mãos.


(Lúcia Machado)

10 comentários:

Vieira Calado disse...

"Sou aquela, em que o espírito toma maior parte que as mãos".

E o seu texto reflecte precisamente isso:

espiritualidade!

Beijinho e bom fim de semana

DarkViolet disse...

Isso de puder nascer das trevas até puderia ter algum brilho:)A lagrima enquanto provocar corrente pode ser um mar de desejos com o poder da criação a escutar-se

Nilson Barcelli disse...

Não faço ideia nenhuma se o teu texto é auto-biográfico ou não.
De qualquer modo, gostei muito das tuas palavras querida amiga.
"... serei miragem neste extenso deserto em que me retira a vida aos poucos... Aragem, que à passagem alivia a dor do peito ardente."
Belas palavras, poéticas...
Boa semana, beijo.

Chris disse...

Gostei das palavras, fazem sentido mais uma vez.
abraço
Cristina Fernandes

Isaura Pereira disse...

Lindo !!!!!

Sempre que por aqui passo não tenho vontade de sair ... a sua forma de escrever é magnifica ....


Beijocas

Henrique Mário Soares disse...

Nem sei, fico sempre "encantado" com toda a tua escrita e assim me deixo ficar num canto de penumbra escutando uma calma melodia.
Parabéns está fabuloso.

O Profeta disse...

Haverá?! Há sempre uma deusa perdida
Nos labirintos da contradição
Há sempre alguém que usa a palavra amor
Soprando doce veneno ao coração
Há sempre alguém que nos diz coisas tontas
Há sempre alguém que afugenta a Saudade
Há sempre alguém que nos marca a ferro frio
Há sempre uma alma ausente da verdade

Boa semana


Doce beijo

Nilson Barcelli disse...

Querida amiga, passei e reli.
E voltei a gostar.
Beijo.

ZezinhoMota disse...

Lúcia.

Escreves sempre um texto na tua linda poesia muito completo.

Como quem diz, com conteúdo.

Bom fim de semana.

Bjnhs

ZezinhoMota

Andreia disse...

Como é impressionante esta saudade que sempre fica... *

... Aqui jazem todas as angústias, os medos, a solidão, as alegrias, as tristezas...
Jazem momentos únicos, momentos irrepetíveis...
....a saudade, o acreditar....
..As lágrimas, o desespero, o renascer...
a morte...
Todos os momentos de uma vida...uns eternos, outros não...
Aqui jaz uma nova esperança... o amor...

...Tu...



(Lúcia Machado)




Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, cedência, difusão, distribuição, armazenagem ou modificação, total ou parcial, por qualquer forma ou meio electrónico, mecânico ou fotográfico destes textos sem o consentimento prévio e expresso do autor. Exceptuam-se a esta interdição os usos livres autorizados pela legislação aplicável, nomeadamente, o direito de citação, desde que claramente identificada a autoria e a origem.