“Todas as palavras são a loucura dos Poetas, não fossem elas o próprio sangue que corre nas veias”


(Lúcia Machado)

08/06/2009

Devaneios... 21ª Parte!!

Interrogo-me…
Serei mais que pó, num espaço compacto?
Ou serão as minhas imagens o reflexo de um ser menor?
Serei pedra ou caminho decalcado por entre as ténues folhagens da memória?
Cristal em estado bruto?
Ou diamante por lapidar?
Página branca de uma história?

Vácuo de uma memória?
Não sei o que me une neste espaço que me afoga
Ou o que me rasga a alma por fora…
Trago na garganta mil gritos na obscuridade da noite que me consome
Será a fome do paladar insosso da hortelã?
Ou vislumbre do horizonte rasgado pela brusca mão da manhã?
Caiadas paredes...brancas as loucuras obscuras das janelas engradadas
Fatos de sóbrio sentir…imaculados pensamentos
Tormentos em contínua eclosão…
Asas quebradas, vozes amarradas…
Pulsos cortados…
Coração esvai-se em contínua transfusão…
Peito exposto às balas de canhão…

(Lúcia Machado)


[...e assim continuam os devaneios! :-P
Ando com uma necessidade de escrever algo deste género!
Algo que liberte a alma... :-)
Acho que ainda não cheguei lá... :-P
Preciso do meus Poetas que me dão inspiração...
volto já!]
:-D

5 comentários:

Hélder disse...

Não sei se serás tudo aquilo, mas sei que és a mulher que eu amo...

Amo-te muito meu amor!!!!!!! :$

Babes disse...

Interrogações (in)sanas, de grandes Almas... Como a Tua!
E as respostas... Essas, chegam devagar... demasiado devagar...

Meu beijo

DarkViolet disse...

O Ser entranha tantas emoções, liberta algumas, foge com outras, deixa os sabores voarem na sua explosão. O percurso da vida acaba por ser viver as situações que são proporcionadas, indo ou lutando, sabendo que nem tudo será para absorver, o pó nao tem casa

Nilson Barcelli disse...

Escreves bem. Os teus poemas não são devaneios poéticos, mas sim o resultado de uma inspiração bem traduzida em versos.
Mas ainda queres mais. O que acho poeticamente saudável.
Mas não tenhas "olhos envergonhados" para as palavras e/ou imagens que sentes. O poeta tem o infinito como limite, isto é, tem liberdade para tudo e mais alguma coisa, até porque também é um fingidor...
Querida amiga, bons feriados.
Beijo.

Luis F disse...

Um excelente momento, num excelente blog.

Adorei passar por aqui, ler e sentir as belas palavras.

Com amizade
Luis

... Aqui jazem todas as angústias, os medos, a solidão, as alegrias, as tristezas...
Jazem momentos únicos, momentos irrepetíveis...
....a saudade, o acreditar....
..As lágrimas, o desespero, o renascer...
a morte...
Todos os momentos de uma vida...uns eternos, outros não...
Aqui jaz uma nova esperança... o amor...

...Tu...



(Lúcia Machado)




Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, cedência, difusão, distribuição, armazenagem ou modificação, total ou parcial, por qualquer forma ou meio electrónico, mecânico ou fotográfico destes textos sem o consentimento prévio e expresso do autor. Exceptuam-se a esta interdição os usos livres autorizados pela legislação aplicável, nomeadamente, o direito de citação, desde que claramente identificada a autoria e a origem.