“Todas as palavras são a loucura dos Poetas, não fossem elas o próprio sangue que corre nas veias”


(Lúcia Machado)

23/03/2009

Por vezes tenho vontade de pegar nas asas e voar…lançar-me no infinito, em busca do tempo perdido…

Sigo-me por outros pensamentos, inertes à força do passado…e num rodopio transforma-se a musicalidade das aves em monólogos segredos.

São cifras em mil e uma cantorias, compassos ou passos do coração em eufórico sobressalto…
E o corpo segue por esse imenso azul onde os pensamentos fluem à velocidade da brisa prateada.


Não tem rumo ou destino traçado…simplesmente cai em nuvens feitas de algodão
O único caminho, é construído em castelos de sonhos, ao som da voz do coração…

(Lúcia Machado)

1 comentário:

Luis F disse...

Amiga

NAs tuas palavras mergulhei e no silêncio do teu refugio, senti o aroma dos sentimentos.

Bjs
Luis

... Aqui jazem todas as angústias, os medos, a solidão, as alegrias, as tristezas...
Jazem momentos únicos, momentos irrepetíveis...
....a saudade, o acreditar....
..As lágrimas, o desespero, o renascer...
a morte...
Todos os momentos de uma vida...uns eternos, outros não...
Aqui jaz uma nova esperança... o amor...

...Tu...



(Lúcia Machado)




Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, cedência, difusão, distribuição, armazenagem ou modificação, total ou parcial, por qualquer forma ou meio electrónico, mecânico ou fotográfico destes textos sem o consentimento prévio e expresso do autor. Exceptuam-se a esta interdição os usos livres autorizados pela legislação aplicável, nomeadamente, o direito de citação, desde que claramente identificada a autoria e a origem.