“Todas as palavras são a loucura dos Poetas, não fossem elas o próprio sangue que corre nas veias”


(Lúcia Machado)

21/01/2010

Pensamentos soltos VII

O dia chegou oculto pela neblina
Cruzou a rua, com a sua saia rodada
Cabelo negro entrançado
Sorriso disfarçado, no olhar de menina

Houve uma lágrima que caiu
Não disfarçando a melancolia daquela manhã
Decalcou caminhos empoeirados
Ou talvez molhados, pela tristeza que sentiu

Chegou a noite, e para ela sorriu
Juntou-se às lágrimas derramadas
Apanhou boleia de uma estrela
E rumo ao céu, ela partiu

Dizem que desde então, nunca mais chorou
Encontrou a felicidade constante
…e para sempre brilhou


(Lúcia Machado)

2 comentários:

Hélder disse...

Não sei se será mesmo assim, mas realmente encontrei a minha felicidade ao teu lado :$

Amo-te muito

Henrique Mário Soares disse...

Volto sempre ao teu blogue, e sempre encontro uma paz que me acalma neste mundo de imensa dor e violência.
Fantâstico...parabéns
Gostei muito!

... Aqui jazem todas as angústias, os medos, a solidão, as alegrias, as tristezas...
Jazem momentos únicos, momentos irrepetíveis...
....a saudade, o acreditar....
..As lágrimas, o desespero, o renascer...
a morte...
Todos os momentos de uma vida...uns eternos, outros não...
Aqui jaz uma nova esperança... o amor...

...Tu...



(Lúcia Machado)




Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, cedência, difusão, distribuição, armazenagem ou modificação, total ou parcial, por qualquer forma ou meio electrónico, mecânico ou fotográfico destes textos sem o consentimento prévio e expresso do autor. Exceptuam-se a esta interdição os usos livres autorizados pela legislação aplicável, nomeadamente, o direito de citação, desde que claramente identificada a autoria e a origem.