“Todas as palavras são a loucura dos Poetas, não fossem elas o próprio sangue que corre nas veias”


(Lúcia Machado)

11/05/2009

Não sei se te esperei, toda a minha vida…
Não sei se todos os sonhos, apenas esperavam por mim
Em ti…
Não sei das ondas que levavam o meu pensamento…

Nem do céu, que me envolvia com as suas cortinas negras
Apenas sei da chegada das andorinhas na Primavera
E, sei dos teus passos aveludados, que levemente seguem a direcção
Do meu coração, e que apagam a noite em mim…
Sei dos teus lábios doces, encantados ao encontro dos meus
Sei das tuas mãos, conchas que aparam a queda da alma
Espero...
Todos os dias espero, todas as noites…
Espero e espreito…
Ansiosa, por um sinal de ti…


(Lúcia Machado)






2 comentários:

Hélder disse...

E eu por outro de ti meu amor...
És tudo para mim, e cada vez tenho mais orgulho da minha mulher, admiro-te mais a cada dia...

Amo-te muito...

ZezinhoMota disse...

O teu cantinho modificou totalmente. Ou melhor, o Amor transformou as cores, as imagens e até as palavras da tua poesia.

Estás de PARABÉNS!

Minha linda amiga Lúcia.

Bjnhs do teu amigo.

ZezinhoMota

... Aqui jazem todas as angústias, os medos, a solidão, as alegrias, as tristezas...
Jazem momentos únicos, momentos irrepetíveis...
....a saudade, o acreditar....
..As lágrimas, o desespero, o renascer...
a morte...
Todos os momentos de uma vida...uns eternos, outros não...
Aqui jaz uma nova esperança... o amor...

...Tu...



(Lúcia Machado)




Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, cedência, difusão, distribuição, armazenagem ou modificação, total ou parcial, por qualquer forma ou meio electrónico, mecânico ou fotográfico destes textos sem o consentimento prévio e expresso do autor. Exceptuam-se a esta interdição os usos livres autorizados pela legislação aplicável, nomeadamente, o direito de citação, desde que claramente identificada a autoria e a origem.